Páginas

12/19/2015

Ternura












Sonhar.
E com o sonho dar vida a um jardim de ternura.
Eis que a intempérie vem e tudo destrói.
Dói?
Eis a tentação da amargura.
Silêncio.
Contemplar.
O que há antes da dor?
Eis a porta.
Amar.
Amar a intempérie também.
E voltar a sonhar...
E voltar a semear...
Semear sempre
docemente
as flores do  coração.

11/12/2015

Milagre










Olho a minha vida e vejo um desfiar de milagres.
Onde não há Milagre, não há Vida.


10/08/2015

Mestres improváveis




A vida é a forma como a olhamos.
Olhar com olhos que perdoam,
que vêem além das aparências
e sorriem.

E nesse olhar, descobrir
em cada pessoa um mestre de Amor,
uma dádiva, um convite,
um perfume que se derrama.
Na aparência podemos ser inimigos,
Na essência,
Companheiros de Jornada.

Liberdade








Enquanto eu precisar que o outro me ame, não conhecerei o Amor. 
Em seu lugar terei carência, cobrança, apego, sofrimento.
Enquanto eu precisar que o outro me ame, não sou livre para o amar.
E a Liberdade é necessário conquistá-la.




3/03/2015

2/24/2015

Nada






Curiosa condição a nossa.
Não somos nada e, rendendo-nos ao nada, nada nos falta.

2/21/2015

Outra vez?

Vais dizer que não consegues, outra vez?
Vais dizer que não mereces, outra vez?
Vais dizer que não é para ti, que houve um engano, outra vez?
Vais dizer que não pode ser, que os deuses estão loucos, que não és capaz, que não tens recursos, que não nasceste para isso, que se tivesses nascido ter-te-ia sido dado, que ninguém te ouve, que não tens poder... outra vez?
Vais dizer que és vítima, outra vez?
Vais negar a tua força, outra vez?
Vais negar a tua luz, outra vez?

2/17/2015

Dor










Dói.
Mas a dor é Amor.
São as mãos de Deus a sustentar-nos enquanto aprendemos a brincar às escondidas com o Absoluto.

Plano












Até a maior das sombras um dia se rende ao Amor.
Esse é o Plano.

2/11/2015

Pergunta










Faço uma pergunta à vida.
Como é que a vida me vai responder?
Qual será a pessoa? Qual será a situação?
A qualquer momento a resposta poderá chegar.
É o ficar atento com o entusiasmo de uma criança que joga um jogo.
É como gritar para uma montanha com o olhar matreiro de quem espera o eco.
Faço uma pergunta à vida.
Como é que ela me vai responder?

1/03/2015

Pedaços de mim

Sinto como se tivesse vivido muitas vidas.
Algumas distantes, das quais só tenho recordações vagas.
Desde que nasci até hoje, houve muitos "eus" diferentes.
Cada fase foi uma vida. Ao nascer para uma morri para outra.
Agora é como se carregasse imensos cadáveres daquilo que fui e apaguei de mim.
Como é que isso aconteceu? Como é que uma fase se sucedeu à outra?
Não sei, mas sei que carrego as minhas vidas comigo. Vidas que ficaram esquecidas, abandonadas.
Sonhos, medos, esperanças, ilusões, pensamentos, emoções.
Esperam ser resgatados, perdoados, abraçados e integrados numa única vida.