Páginas

1/21/2013

A realidade é...

É quase um lugar comum dizer que "a realidade é uma questão de óptica", muito embora nós continuemos firmemente agarrados à nossa visão do mundo. Encontramos exemplos disso até na ciência.

Existem, por exemplo, estudos científicos que procuram descobrir se os animais têm auto-consciência. Para avaliar esse facto coloca-se o animal perante um espelho e analisa-se a sua reacção. Se o animal se reconhecer comprova-se que ele tem consciência de si, sabe quem é, se não, comprova-se o contrário. Com estes estudos demonstrou-se, por exemplo, que os macacos têm auto-consciência e que o cães não. 

Se estes estudos são científicos, o que pode estar errado neles?

1/13/2013

Desperdício

Apesar da nossa ambição não ter limites, vivemos num mundo de recursos limitados. E por esse motivo temos necessidade de evitar o desperdício, de gerir bem os recursos de que dispomos. Como fazer isso?

Quando penso em desperdício a primeira ideia que me ocorre é a falta de eficiência. Ou seja, se para realizar a actividade A gasto 2h quando podia gastar apenas 1h, perdi uma hora devido à minha ineficiência. Eficiência pode ser vista como "fazer bem as coisas". O aumento da eficiência permite-nos fazer mais com menos.

Com isto podemos concluir que mais eficiência = menos desperdício? Não necessariamente.

1/06/2013

Cuidado: queixas!

Uma vez estava a negociar uma compra. A vendedora era sui-generis. Uma senhora amarga, ao que parece a vida não lhe sorriu, passava 40 minutos em cada hora a lamentar-se da maldade alheia, da falta de solidariedade, da inveja, da falta de carácter. Na sua perceção, o inferno eram os outros.

Resultado? Essa vendedora revelou-se ser tudo aquilo do qual se queixava: sem palavra nem carácter. Essa experiência levou-me a ficar alerta. É muito provável que uma pessoa que se queixa contra algo acabe manifestando aquilo de que se queixa ou que critica. Apontamos um dedo mas três apontam para nós.

A conclusão que eu tiro é que a forma como vemos o mundo diz mais sobre nós do que sobre o mundo.

1/01/2013

Foco


Há várias formas de ganhar consciência da instabilidade da nossa mente. Uma delas é procurar deliberadamente focar a mente num único pensamento. Nesse momento percebemos centenas de outros pensamentos, incessantes, atropelando-se uns aos outros.
 
Outra forma é quando temos uma ideia brilhante e no segundo seguinte ela se esvaece... tentamos desesperadamente lembrar-nos daquilo em que pensávamos e damos conta de pelo menos uns 10 pensamentos diferentes nos últimos 30 segundos e nenhum deles é o tal.

Tudo isto prova que mente = dispersão, ou seja, falta de foco. Mas o foco é um fator importante para o sucesso. Uma mente focada é muito poderosa, hiper atenta a todos os inputs recebidos que possam auxiliar no atingimento do seu objetivo. A boa notícia é que o foco se treina e devemos treinar-nos constantemente para aumentá-lo.